10 agosto 2012

UMA COMUNIDADE MUITO CANÓNICA


A imagem não é famosa, de fotocópia hoje tirada na BN. José Régio e Alberto de Serpa em Amarante, em pleno Verão de 1950. E logo sob o regaço daquela Pietá bem nossa conhecida. Ruben A. em O Mundo à Minha Procura chama-lhe a Pietá mais bonita da estatuária portuguesa. Lembram-se?

4 comentários:

Joca disse...

Lembro-me muito bem! Onde vamos a seguir? Onde há mais memórias de escritores?

Custódia C.C. disse...

Impossível esquecer. Tudo, o Ruben A., a Pietá da Igreja de S. Gonçalo, o Régio. Grandes memórias são construídas por esta Comunidade canónica...

JOÃO SILVA disse...

Por muito que a localização desta Pietá engane, ela é de natureza PÚBLICA, CIVILISTA arrumada para esta janela/janelo quando saiu da divisória dos Concelhos de Gouveia e Santa Cruz de Riba Tâmega na ponte (de ameias) primeva que veio a ruir devido às cheias tumultuosas do Tâmega, há cerca de 260 anos. Adiante-se que esta imagem nesse nicho só mostrava uma das faces: a da Senhora da Ponte. A oposta, policromada, apresenta Jesus crucificado... desde esse tempo sonegado!
Luta-se, nesta momento, para que a dita imagem de sorriso (para mim) algo contido e inesperado, não se recolha a um local privado (Museu de Arte Sacra) mas sim a um local digno na amplitude do Museu Amadeo de Souza Cardoso em Amarante, aceitando-se que uma réplica venha a conceder aos transeuntes agora com as duas faces e fases visíveis como a admirou José Régio e Alberto Serpa.
João Pereira da Silva
Amarante, 13/7/2014

JOÃO SILVA disse...

Por muito que a localização desta Pietá engane, ela é de natureza PÚBLICA, CIVILISTA arrumada para esta janela/janelo quando saiu da divisória dos Concelhos de Gouveia e Santa Cruz de Riba Tâmega na ponte (de ameias) primeva que veio a ruir devido às cheias tumultuosas do Tâmega, há cerca de 260 anos. Adiante-se que esta imagem nesse nicho só mostrava uma das faces: a da Senhora da Ponte. A oposta, policromada, apresenta Jesus crucificado... desde esse tempo sonegado!
Luta-se, nesta momento, para que a dita imagem de sorriso (para mim) algo contido e inesperado, não se recolha a um local privado (Museu de Arte Sacra) mas sim a um local digno na amplitude do Museu Amadeo de Souza Cardoso em Amarante, aceitando-se que uma réplica venha a conceder aos transeuntes agora com as duas faces e fases visíveis como a admirou José Régio e Alberto Serpa.
João Pereira da Silva
Amarante, 13/7/2014