04 outubro 2012

"Seara Vermelha" de Jorge Amado, 26 de Outubro às 21h00



“Lá vem Lucas Arvoredo
Armado com seu fuzil.
O sertão treme de medo,
Já matou pra mais de mil...

Lá vem Lucas Arvoredo
Armado com seu fuzil...
Menina, não tenha medo,
Meu apelido é gentil...
…”

Assim canta Bastião, em noite de festa, os feitos de Lucas Arvoredo, em “Seara Vermelha” de Jorge Amado

5 comentários:

Manuel Nunes disse...

Então temos cangaço... Vou começar a ler lá mais para o fim do mês.

Joca disse...

Que história...e sem searas..."Que diria o historiador dos bandeirantes se soubesse que a indolência e a incapacidade queriam dizer apenas fome na terra rica e fértil?" :(

Manolo disse...

Grande sessão em perspectiva. Além de que...

Custódia C.C. disse...

Essas reticências ... auguram algo de bom...

Manolo disse...

:)