12 dezembro 2012

VERÃO DE 1922 - "A reivindicação do amor"

Um desenho torrencial de sentimentos e ilusões no pino do Verão. Um saxofone rouco por entre o bulício da City e a perícia veloz de bootleggers e especuladores bolsistas.  Um sopro de jazz, um clarão eléctrico e industrial, um hidroplano na baía clara. Rosy Rosenthal, o velho restaurante Metrople e o crime. A reivindicação do amor, o amor traído. A aceleração letal  dum carro amarelo, um fato cor-de-rosa sobre o green do jardim da casa, uma piscina com fios de sangue, perecendo de folhas.
Não basta o desenho, é preciso ler nas linhas de fuga que o conformam.
 

Na Comunidade de Leitores da Biblioteca de Cascais, 13 de Dezembro, 18:30, ciclo de leituras “A Reivindicação do Amor”.

Nenhum comentário: