03 janeiro 2013

SINTRA FOREVER

Antes que se apague o brilho da memória de dia 1 de Janeiro deste ano-bébé, passado no coração da Serra de Sintra de forma tão auspiciosa, aqui se publicam e mandam registar, os apontamentos fotográficos possíveis, face ao variado e animado das diferentes e por vezes coincidentes atividades. Se não, vejamos: depois da passeata à Peninha a ver o mar e o Tejo na lonjura, enquanto uns acendiam o lume, outros passeavam na ponte pênsil, a fazer o malabarismo do chinelo, com muito aplauso dos medrosos; alguns punham a mesa; havia um coro a acompanhar a gaita de foles; conversa, muita; podia-se ainda entrar no concurso da fisga para ganhar um xuxu... O que fizémos todos, foi cantar os parabéns à Rosa, comer e beber  à tripa- forra e, por fim, participar na quemada galega, que o Carlos Capela preparou, com muito saber setentrional, com todos os ingredientes, pozinhos de pirlimpimpim e os esconjuros da praxe. Ardeu bem até com um sopro geral se extinguir, como mandavam as regras do exorcismo... (Aqui para nós, tal foi o poder da imprecação, que alguém jura ter visto um magote de bruxas a fugir do local, a uma velocidade mágica...). Combinámos desde já um encontro no mesmo local, daqui a um ano, intercalado com muitos dos já costumados passeios e outras e variadas atividades... Em caminhada...


 
 
 

2 comentários:

Paula M. disse...

Belo momento! Até as bruxas fugiram... Um bom ano meus amigos.

Custódia C.C. disse...

Fugiram as bruxas más, mas vieram as meigas :)
Grande tarde que passámos! Foi começar o ano em estado puro :)