20 março 2014

ADOLPHE-WILLIAM BOUGUEREAU (1825-1905), Jovem defendendo-se de Cupido
 
NAS ERVAS
 
Escalar-te lábio a lábio,
percorrer-te: eis a cintura,
o lume breve entre as nádegas
e o ventre, o peito, o dorso,
descer aos flancos, enterrar
 
os olhos na pedra fresca
dos teus olhos,
entregar-me poro a poro
ao furor da tua boca,
esquecer a mão errante
na festa ou na fresta
 
aberta à doce penetração
das águas duras,
respirar como quem tropeça
no escuro, gritar
às portas da alegria,
da solidão
 
porque é terrível
subir assim às hastes da loucura,
de fogo descer à neve,
 
abandonar-me agora
nas ervas ao orvalho –
a glande leve.
 
EUGÉNIO DE ANDRADE, Variações Sobre um Corpo, antologia de poesia erótica contemporânea, Porto, Editorial Inova, pp. 37 e 38.


7 comentários:

Maria Amélia disse...

HELP! Andam os faunos à solta!
De Eugénio de Andrade... Quantos queremos? Maravilhosos!

MANUEL JOSÉ disse...

Eu quero, quanto mais melhor.

Paula M. disse...

Esta chegada da primavera promete... vejam lá se se contêm ;)

Paula M. disse...

Como dizia a minha falecida avó, estou muito admirada com este blog! Devem ser as brisas primaveris, que sopram um envolvente fervor erótico a provocar este «frisson» que para aqui grassa. Senão, vejamos: alusões à leitura como desejo, ligadas à freudiana analidade!; o tropel infinito de desejos provocados por seios entre rendas e saias de seda transparente que transtornam C. Pessanha; os lúbricos e imorais olhos de uma Marta libidinosa que tentam Cesário Verde; a mulher de seios provocantes, gomo com que o Pessoa quer saciar a fome; um anel de pernas da Maria Teresa Horta à volta de um pescoço de um pobre que vai ainda gritar de dor com instrumentos de tortura; beijinhos, que muito se precisam, é a sugestão de A. Botto; Paris, a cidade dos amantes e os nus do Louvre; culminando com uma glande leve nas ervas e orvalho, sugestão de E. deAndrade.
Isto anda bonito anda...
Só falta mesmo a rapariga de brinco de pérola,perder o seu ar composto e seráfico e deixar deslizar o turbante azul pelos cabelos de ouro...

Custódia C.C. disse...

Os faunos, os elfos, os duendes, anda a família toda à solta :)

Joca disse...

Ah, essa rapariga de brinco de pérola está grávida, para tristeza primaveril do nosso mentor ;)

Maria Amélia disse...

Boa síntese, Paula (não te esqueças das Colunas Triunfais)! Dá lá também um ar da tua graça!