14 março 2014

LÚBRICAS

Poemas de Cesário Verde e Camilo Pessanha com o mesmo título - "Lúbrica". Alguns versos:

= De Cesário:
   =========

(...)
Teus olhos sensuais
Libidinosa Marta,
Teus olhos dizem mais
Que a tua própria carta.

As grandes comoções
Tu, neles, sempre espelhas;
São lúbricas paixões
As vívidas centelhas...

Teus olhos imorais,
Mulher, que me dissecas,
Teus olhos dizem mais,
Que muitas bibliotecas!

= De Pessanha:
============

Quando a vejo, de tarde, na alameda,
Arrastando com ar de antiga fada,
Pela rama da murta despontada,
A saia transparente de alva seda,

E medito no gozo que promete,
a sua boca fresca, pequenina,
E o seio mergulhado em renda fina,
Sob a curva ligeira do corpete;

Pela mente me passa em nuvem densa
Um tropel infinito de desejos:
Quero, às vezes, sorvê-la, em grandes beijos.
Da luxúria febril na chama intensa...
(...)

---- Ah, grandes poetas!
Os poemas completos em qualquer boa edição das obras.
 

Um comentário:

Maria Amélia disse...

É A PRIMAVERA, MEUS AMIGOS!