19 março 2014

"HISTÓRIAS DE POUCAS PALAVRAS"

Tenho andado em viagens à volta do meu quarto: limpando o pó, arredando móveis, arrumando livros. E é neste frenético sair de mim que topo com o livrinho da nossa amiga Cristina Leimart. Estava entalado entre o Moby Dick, de Melville, e o Guide des Caresses, de um tal Pierre Valinieff, texto especioso e raro que não recomendo a pessoas decentes.
Como bem notam, o opúsculo tem um cordel, mas não é literatura de cordel. As histórias de Cristina Leimart são simples e bonitas como as flores do bosque. Do bosque da ficção, diria Umberto Eco.
A dedicatória, de 2009, está escrita a tinta roxa. Interrogo-me sobre o simbolismo do colorido e sou levado a pensar que não deve augurar nada de bom. Para mim, claro, não para ela.
--- CRISTINA LEIMART, Histórias de Poucas Palavras, Lisboa, Apenas Livros, 2009.

Um comentário:

Custódia C.C. disse...

Gosto muito da escrita da Cristina Leimart.

De vez em quando escreve qualquer coisa por aqui. Devia fazê-lo mais vezes :)