29 abril 2014

D. JOÃO V , O FASCÍNIO DOS CONVENTOS

Anda uma pessoa desacautelada e vai senão quando, em visita à Madre de Deus, no espírito martirológio de Santa Auta, tropeça com o olhar atónito em mais uma possível encomenda prodigiosa. Ei-la, exemplo cabal de todo o brilho, ouro sobre ouro, de que as mentes barrocas são capazes...

 

3 comentários:

Custódia C.C. disse...

Eu sabia que ias ficar assim :)

Maria Amélia disse...

Pois!

Manuel Nunes disse...

Santa Auta, uma das onze mil virgens! Impressionante como naquele tempo dos alvores do Cristianismo havia tantas virgens sob a roda do Sol.
O copista medieval não teve culpa quando escreveu
11 M V
Ele queria dizer 11 mulheres virgens, convertidas em 11 mil virgens pelos olhos dilatados de fé de quem foi ler e... recopiou.
Assim nascem os grandes mitos da religião. Ah, Saramago!