04 setembro 2014

PARA 26/9: É LER OU RELER - SÓ NÃO VALE TRESLER

«Decididamente, era uma bela rapariga. Assim que ela acabasse a bucha, ele tomá-la-ia nos braços para a beijar na boca. Era uma resolução de tímido, uma ideia de violência que o engasgava um pouco. Aqueles fatos de rapaz, aquela jaqueta e aquelas calças sobre aquela carne de rapariga, excitavam-no e incomodavam-no. Estevão tinha engolido o último bocado. Bebeu do cantil, restituiu-lho para ela o despejar. Agora, era chegado o momento de operar; e estava deitando uma olhadela inquieta para o lado dos mineiros, ao fundo, quando uma sombra tapou a galeria.»
 
ÉMILE ZOLA, Germinal, tradução de Eduardo de Barros Lobo, Lisboa, Círculo de Leitores, 1983, p. 31.

5 comentários:

Anônimo disse...

Bia diz...

E agora, na 2ª. parte vamos conhecer outra família, os Grégoire, donos da Piolaine e da mina de Montsou. Mais uma tábua.

Custódia C. disse...

"Elle était décidément très gentille. Quand elle aurait fini sa tartine, il la prendrait et la baiserait sur ses grosses lèvres roses. C'était une résolution de timide, une pensée de violence qui étranglait sa voix. Ces vêtements de garçon, cette veste et cette culotte sur cette chair de fille, l'excitaient et le gênaient. Lui, avait avalé sa dernière bouchée. Il but à la gourde, la lui rendit pour qu'elle la vidât. Maintenant, le moment d'agir était venu, et il jetait un coup d'oeil inquiet vers les mineurs, au fond, lorsqu'une ombre boucha la galerie."

Ainda estou em modo francês :)

Manuel Nunes disse...

Bia: Que venha a 2ª parte.
CC(f): O pior foi o "boyau-rouge" Chaval.

Custódia C. disse...

... et ses vingt-cinq ans, osseux ... :)

Maria Amélia disse...

Recém chegada de uma volta por La Mancha, ainda estou com a cabeça cheia de moinhos, catedrais, Plazas Mayores únicas, casas de El Greco e de Dulcineia, paisagens de planícies como oceanos, etc, na Rota oficial de D. Quixote e não só. O Germinal foi germinando durante a viagem, em contra-mão das minhas disposições, como é fácil calcular. Zola é a figura que sempre me intrigou e espero que esta pequena odisseia de leitura ajude também a entendê-lo e ao seu contexto (incluindo L'Affaire Dreyfus).