10 agosto 2015

"As Horas" de Michael Cunningham, 28 de Agosto, 20h30


"Ainda falta comprar flores. Clarissa finge-se exasperada (embora goste de fazer recados deste género), deixa Sally a limpar a casa de banho e sai apressada, prometendo voltar dentro de meia hora.

Isto passa-se na cidade de Nova Iorque. No fim do século XX.

A porta do vestíbulo abre-se para uma manhã de Junho tão bonita e limpa que Clarissa se detém no limiar como se deteria à beira de uma piscina, a admirar a água cor de turquesa beijando os azulejos, as redes líquidas de sol oscilando no fundo azul ..."

in "As Horas" de Michael Cunningham, capítulo "Mrs. Dalloway"


Um comentário:

Joca disse...

Estas são as horas da manhã, cheias de luz e cores. Segue-se uma sequência de gratidão à vida...NY, NY...:)E seguem-se outras horas...e outras cores...um bom exercício, seguir as horas e a palete de cores descritas pelo autor.