05 outubro 2015

Será isto?



Hendrick ter Brugghen. Democritus. 1628.

O rir dos Demócritos de que se fala aqui em baixo?


4 comentários:

Manuel Nunes disse...

Refere-se ao filósofo grego Demócrito (século V a.C.). Postulou a existência de átomos indivisíveis e em moral foi predecessor de Epicuro. Há de facto uma lenda que o apresenta como rindo constantemente da loucura humana. Confronta-se a sua filosofia com a de Heraclito: esta mais assente na essência trágica da vida; a de Demócrito procurando recolher do mundo o que seja bom, não se lastimando pela imperfeição.

Maria Amélia disse...

Ora quem diria! Esta foi precisamente uma das obras do Rijsk que nos fascinaram. Dizia a Etel que parecia mesmo o Che! Mas ainda vou tentar completar a informação, porque a coisa não se ficava por aqui...

Custódia C. disse...

Coincidências? Convergência de interesses?
Não sei!
Só sei que é esta interacção e troca de saberes que me agradam aqui no blog ...

Etelvina disse...

Obrigado Custódia por me informares do debate sobre Demòcritos, cuja personagem só conheci em Amesterdão(sou de facto mto inculta).
Mas parece que o sentido que Júlio Dinis lhe dá é contraditório com o retirar o bom da vida, mas que se aproxima mais do Che. Nota: é preciso ver o qudro de longe