09 novembro 2015

"A Noite e a Madrugada" de Fernando Namora - 27 Novembro, 20h30


Não a abrir, mas lá mais para a frente do primeiro capítulo:

"... Quando as galinhas começavam a postura, o mudo levantava-se muito cedo, com as cautelas e o alvoroço de um ladrão. Safava os ovos do galinheiro, escondendo-os nas abas enfunadas da blusa, e negociava-os com as criadas das casas ricas. Elas, apesar de enjoadas com o cheiro daquele corpo imundo, tinham de lhe apoiar as mãos sobre os ombros, apaziguando o terror do mendigo de que alguém o denunciasse ao sobrinho. Só deixava de fazer sinais de recato, quando sentia o apoio dessas mãos;..."

in "A Noite e a Madrugada" de Fernando Namora - Capítulo I

Um comentário:

MANUEL JOSÉ disse...

Lido o 1º capítulo.