01 maio 2016

"O ADEUS ÀS ARMAS"

Dois desenhos do nosso novo companheiro MIGUEL REBELO oferecidos à Comunidade. E a discussão continuou depois da sessão. Se o subtítulo "O absurdo" poderia adequar-se ao romance, se estávamos perante um livro em forma de "Pentateuco", se as verdes colinas de África já se mostravam naquele tempo em Itália, se era uma história de amor ou um hino condenatório da guerra... Lá dizia o José Afonso "que não há só gaivotas em terra / quando um homem se põe a pensar". Neste caso, foram vários homens e uma mulher. Obrigado ao Miguel Rebelo e a todos.

2 comentários:

Anônimo disse...

... "uma mulher" diz mais:

Reparei depois, que este livro é dedicado a "G. A. Pfeiffer",
Gregory, o segundo filho de Hemingway e de Pauline Pfeiffer e cujo parto difícil, inspirou o autor.

Manuel J. M. Nunes disse...

Ora aí está, ó "anônimo". Podia-se pensar que este Gregory tivesse andado na guerra, desertado, denunciado o absurdo da dita e, daí, a razão da dedicatória. Mas não, afinal foi tudo por causa de um parto difícil... :) :)