29 agosto 2013

Da Taxinomia da Metamorfose

Como nos narra Franz Kafka no seu texto de 1912, publicado em 1915, Die Verwandlung, ou «A Metamorfose» ou a transformação:

«Als Gregor Samsa eines Morgens aus unruhigen Träumen erwachte, fand er sich in seinem Bett zu einem ungeheuren Ungeziefer verwandelt.» 

A expressão alemã «ungeheuren Ungeziefer»- pode traduzir-se por «enorme bicho/bicharoco»;

Em inglês a criatura é denominada «monstrous vermin» ou verme/insecto monstruoso; em francês, « monstrueux insecte »; «une sorte de cafard» (barata); em português, «numa espécie monstruosa de inseto» ou um «gigantesco insecto».

Embora as representações mais comuns estabeleçam uma analogia da imagem do pobre Gregor, convertido em bicho, com a barata, traduzindo, talvez assim, o nosso imaginário, de facto, o texto e suas traduções , não nos confirmam isso, embora possam estabelecer uma aproximação: « (...) o dorso; tão duro que parecia revestido de metal, e, ao levantar um pouco a cabeça, divisou o arredondado ventre castanho dividido em rijos segmentos arqueados (...). As inúmeras pernas, que eram miseravelmente finas, comparadas com o resto do corpo, agitavam-se desamparadamente perante os seus olhos.»

É um insecto indeterminado, assim como indeterminadas são as causas da a sua transformação durante o sono. Essa indeterminação torna o texto mais perturbante...Se acontece a Gregor Samsa, pacato caixeiro viajante, porque não...


2 comentários:

Maria Amélia disse...

Obrigada, Paula. (Não)fiquei mais descansada...

Custódia C.C. disse...

Um pouco mais esclarecida mas ... que é inquietante lá isso é :)