29 julho 2013

LEITURA INTENSIVA DE "D. QUIXOTE DE LA MANCHA"

"Escupía Sancho a menudo, al parecer, un cierto género de saliva pegajosa y algo seca; lo cual visto y notado por el caritativo bosqueril escudero, dijo:
- Paréceme que de lo que hemos hablado se nos pegan al paladar las lenguas; pero yo traigo un despegador pendiente del arzón de mi caballo, que es tal como bueno.
Y, levantándose, volvió desde allí a un poco con una gran bota de vino y una empanada de media vara; y no es encarecimiento, porque era de un conejo albar, tan grande que Sancho, al tocarla, entendió ser de algún cabrón, no que de cabrito; lo cual visto por Sancho, dijo:
- Y ¿esto trae vuestra merced consigo, señor?
- Pues ¿qué se pensaba? -respondió el otro-. ¿Soy yo por ventura algún escudero de agua y lana? Mejor repuesto traigo yo en las ancas de mi caballo que lleva consigo cuando va de camino un general."
 
(Don Quijote, segunda parte, capítulo XIII)

Também nós não somos leitores de “agua y lana”, e é à mesa com “vino” – despegador de línguas – que vamos empreender a leitura do grande clássico cervantino.

Presenças confirmadas: João Pequenão, José Cañete, Manuel Nunes.
1ª série de sessões:

Dia 1 de Agosto, 18:00, no jardim de S. Pedro de Alcântara, Lisboa;
Dia 3, 15:00, no Parque Urbano da Quinta da Alagoa, Carcavelos;
Dia 5, 18:00, no Parque José Gomes Ferreira, Lisboa
(ver: http://lisboaverde.cm-lisboa.pt/index.php?id=4111);
Dia 7, 18:00, nos jardins da Fundação C. Gulbenkian, Lisboa;
Dia 9, 18:00, em S. Domingos de Rana.
 
Sessões abertas a todos os leitores que queiram e possam participar.  Basta apresentarem-se  com olhos de ler  e, se desejarem, com  uma botelha de vinho ou um pouco de queijo manchego. Quem não é para comer (e beber), também não é para trabalhar!
 

8 comentários:

Joca disse...

Os homens não podem ficar sozinhos, põem-se logo a inventar coisas :)...a ideia é muito boa, o horário é que poderá ser difícil de acompanhar em todas as sessões. Vou fazer os possíveis para aparecer.

Anônimo disse...


BIA diz...

Gostaria de ir, vou fazer o possível.
Há alguma edição que seja aconselhada para acompanhar a leitura?

Manuel Nunes disse...

Bia:
Eu e a Joca temos a versão do Aquilino Ribeiro, o João tem uma tradução que não sei de quem é, e o José António vai tentar trazer uma edição em castelhano arcaico :). Portanto, viva a diferença!

Custódia C.C. disse...

Meus amigos

A ideia é óptima claro, mas os horários (excepto o Sábado) só são bons para quem está de férias ou aposentado !!!!

Maria Amélia disse...

Caso em que há pouca atenção, todos ralham e ninguém tem razão, diria um Murocámi aqui das berças
p´ra mim todos os dias bons são
não me estraguem é as terças!

Ora aqui temos nós um anteprojeto coletivo decidido a quatro... Aguentem-se, ó Sanchos, que os Quixotes são de força!

Manuel Nunes disse...

:)

Maria Amélia disse...

...nada?

Paula M. disse...

Pois os meninos lançam-se nestas «quixotadas» e nem avisam. Ai, ai que levam com um «colherim» de arqueólogo!
Talvez possa aparecer sexta...aqui mais perto ;)