22 novembro 2013

DIÁRIO DA LEITURA DO CERCO - 22/11/2013

O sinal é assim como uma cobra que não chega a morder a cauda, diz o historiador, devem ter percebido. Tem parecenças com o Q, diz Raimundo Benvindo, afilhado da tal madrinha, ou será que é o historiador? Deleatur quer dizer destrua-se.
Aqui comecei, hoje, como quem não quer a coisa, e fui até à página 75, onde se nos depara aquela visão das torres das Amoreiras. Perante a taveirada, achei por bem fechar o livro. Amanhã há mais.
 

Nenhum comentário: