25 novembro 2013

MILAGRE DE SANTO ANTÓNIO

Na rua do dito milagre, por cima do bistro a bilha. O que a gente descobre quando se põe a ler Saramago.

7 comentários:

Custódia C.C. disse...

Estou a gostar muito deste paralelismo fotográfico.
Lanço desde já um repto ao nosso líder, para que organize uma expedição citadina em torno destes ligares que Saramago tão bem conhecia e que ilustram de forma magistral o seu "Cerco ..."

MANOLO disse...

Bem pensado, minha amiga, e se o tal líder não for, vamos nós, os liderados, que líder mesmo nestas coisas de cidades, bairros, ruas, escadas e escadinhas, sejam elas de S. Crispim ou de S. Roque, é aquela senhora que a gente sabe.

Anônimo disse...

É claro que de falsas modéstias, mais do que intenções, está o purgatório cheio. (O inferno só pode estar reservado para os atrozes malvados das Buchenwalds deste mundo-cão).

Anônimo disse...

Bia disse...

Também eu me tinha lembrado que seria bem interessante esse passeio, portanto, se se concretizar, eu alinho.

Joca disse...

E eu, que não sou de intrigas, vou levar o mapa da cerca velha e das portas, para inspiração do passeio pedestre.

Manuel Nunes disse...

Anônimo (a) das 18:49:
Segundo doutas e iluminadas interpretações (a de Bento XVI, por exemplo), o purgatório não existe como lugar fora da terra, sendo visto como um fogo interior que purifica a alma do pecado.
Portanto, o tal pecador das falsas modéstias só terá que se esforçar por ser mais bonzinho, não fazendo tantas maldades. Por mim, estou disposto a ajudá-lo. Se puder, claro. :)

Custódia C.C. disse...

Mesmo com purgatório ou inferno à vista ... isto está a compor-se!